Carne bovina VB: segurança alimentar garantida

 

Veja a foto abaixo tirada em uma das lojas Whole Foods nos EUA. A rede americana tem relação estreita com fornecedores, e por isso consegue garantir o padrão de seus produtos, as mesmas características sensoriais e ainda a segurança alimentar.

1614158_734307903256503_1577388030_oFoto: Beef&Veal

O texto da etiqueta diz:

Carne bovina

  • Sem antibióticos
  • Sem hormônios
  • Dieta vegetal

Pois é, aqui na Vila Beef também é assim! Precisamos mostrar estas questões ao consumidor com mais eficiência.

Temos um fornecimento exclusivo, ou seja, nossa carne bovina é como se fosse produzida por nós. Desta forma, garantimos o padrão, maciez, sabor, e toda a segurança alimentar:

– Carne 100% apta para consumo humano;

– Uso somente de insumos permitidos, e

– Dieta dos animais 100% vegetal.

Você sabia? Carne produzida no Brasil é 100% livre de hormônios

Veja esta foto de um cartaz no açougue em um dos supermercados Whole Foods nos EUA, ele diz:

“Nossos produtores e fornecedores de alimentos precisam atender aos nossos padrões. Todas as carnes que vendemos é produzida com dietas sem produtos de origem animal e sem antibióticos”. hormonfreeOu seja, nos EUA a carne produzida sem a utilização de hormônios é vendida como algo especial, já que o uso desta tecnologia é permitida e praticamente toda a pecuária americana a adota.

No Brasil o uso de hormônio de crescimento na nutrição animal não é permitida por lei, por isso toda carne que consumimos é 100% livre deste tipo de promotor de crescimento. Você sabia?

Estes hormônios são utilizados em grandes países produtores e exportadores (EUA e Austrália por exemplo), podem ser naturais ou sintéticos (estrógenos e andrógenos) e são fiscalizados pelos Ministérios da saúde e da agricultura locais.

São aplicados nos animais em forma de implante subcutâneo inserido na orelha nos últimos 100 ou 200 dias de vida do animal. Esta ferramenta aumenta a quantidade de músculo produzido em machos castrados e fêmeas, permitindo assim um aumento de produtividade e melhores resultados financeiros para o pecuarista.

A liberação para o uso destes promotores no Brasil está em estudo no Ministério da Agricultura. Assim que for legalizado, surgirá um novo mercado de carne no Brasil assim como já existe nos países que já utilizam: a carne produzida com e sem hormônio implantado nos animais.

Portanto, tanto o setor produtivo quanto o consumidor terão outro fator a analisar. Pois caso a produção decida utilizar os promotores, a forma de venda será diferente, devido à segmentação de mercado. Já o consumidor terá mais uma opção de compra de carne, produzida com ou sem o uso de promotores de crescimento hormonais.

*Foto de Marcelo Shimbo (Pobre Juan) em viagem aos EUA.